sexta-feira, 18 de março de 2011

ATIVIDADES DE LEITURA E PRODUÇÃO DE TEXTO

LEITURA



Os alunos surdos devem ser expostos a leitura diariamente. Inicialmente e sempre que necessário, o conteúdo dos textos escritos deve ser interpretado pelo professor, na Língua Brasileira de Sinais, o que vai permitir ao aluno ampliar o conhecimento prévio, elemento fundamental para a compreensão e para a produção da escrita na Língua Portuguesa. Se o aluno sentir necessidade, o professor deverá interpretar o conteúdo da escrita na Língua Brasileira de Sinais.

Deve-se oferecer muitos textos, de diferentes gêneros textuais, o que vai propiciar aos alunos tanto a ampliação de suas possibilidades de compreensão e uso da Língua Portuguesa, quanto o domínio da gramática, e deve-se incentivar os alunos a ler e a escrever.

Ao introduzir um texto, deve-se explorar o conhecimento prévio dos alunos sobre o tema, conversando na Língua Brasileira de Sinais, interpretando o conteúdo do texto ou mesmo introduzindo um novo gênero.

Obs.: Todas as atividades que os professores comumente desenvolvem oralmente com os alunos ouvintes devem se dar na Língua Brasileira de Sinais para os alunos surdos.


Atividades de leitura

Leitura compartilhada - O professor lê um texto com a classe e, durante a leitura, questiona, na Língua Brasileira de Sinais, os estudantes sobre as pistas lingüísticas que dão sustentação aos sentidos atribuídos. A estratégia favorece a formação de leitores, sendo indicada principalmente para o tratamento de textos que se distanciam do nível de autonomia dos alunos.

Leitura com interpretação na Língua Brasileira de Sinais pelo professor - São atividades de leitura realizadas pelo professor, como a leitura de livros em capítulos, que possibilitam o acesso a textos longos (e às vezes difíceis) que, por sua qualidade e beleza, podem vir a encantar o estudante, mas que, talvez, sozinho não o fizesse. Ler para crianças surdas, interpretando o conteúdo na Língua Brasileira de Sinais, é uma prática importante para despertar nelas a curiosidade e imaginação, como também para estimulá-las a refletir sobre temas complexos da experiência humana. Essa prática, se regular, faz com que os estudantes construam um repertório de textos.

Leitura autônoma - Envolve a prática de leitura em que o estudante surdo lê, silenciosamente, textos sem a mediação do professor. Tais situações são importantes, pois a criança aumenta a confiança que tem em si enquanto leitor, encorajando-se para aceitar desafios mais complexos.

Atividades de produção de textos

Produção de texto na Língua Brasileira de Sinais com escrita, pelo professor, na Língua Portuguesa - É atividade em que os estudantes, especialmente os que ainda não são alfabetizados, compõem o texto em Língua Brasileira de Sinais e o professor o escreve na Língua Portuguesa.

Durante essa atividade, os estudantes experimentam a tarefa de textualização, sem a preocupação com a escrita na Língua Portuguesa, mas testando suas hipóteses sobre as condições de textualidade da estrutura composicional do gênero a que pertence o texto.

Escrita de textos de memória - Envolve a escrita de textos que os estudantes sabem de cor. Sem a preocupação com o conteúdo a ser escrito, os estudantes podem ficar atentos a como se escreve, tanto em relação ao sistema de escrita alfabética como em relação aos padrões da escrita. Gêneros como parlendas e cantigas, prestam-se a esse tipo de atividade.

Produção de texto de acordo com sua hipótese de escrita - É atividade em que o estudante surdo experimenta a produção de textos mesmo sem o domínio da escrita alfabética. Durante essa produção, ele testa suas hipóteses sobre a escrita e, se a atividade é realizada em dupla, a troca com o colega pode propiciar o avanço nas hipóteses que ambos sustentam.

Reescrita de texto a partir de modelos - Tomar um texto como modelo e reescrevê-lo é atividade que coloca o estudante surdo, no papel do autor para produzir uma nova versão do texto-fonte. Essa atividade possibilita compreender o funcionamento do gênero em questão e a observação dos padrões da escrita.

Produção de novo texto a partir de modelos - É atividade em que o estudante surdo, produz um novo texto apropriando-se de traços da estrutura composicional do texto selecionado, que serve de modelo para desenvolver conteúdo temático de sua escolha. É o caso das paródias, por exemplo.

Produção de texto a partir de necessidades e escolhas pessoais - É a atividade de produção autônoma em que o estudante surdo mobiliza seus conhecimentos prévios para compor texto de sua autoria.

Nenhum comentário:

Aprenda no SILÊNCIO!!!

Espero que minhas contribuições te enriqueçam de alguma forma.